terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Resumo coletivo do conto Miura de Miguel Torga

 

Miura, o rei da campina, foi colocado num curro de uma praça de touros para divertir o público que apreciava touradas. Sentia-se encurralado como um pássaro numa gaiola.

Desiludido e angustiado com a sua sorte, Miura sonha com a lezíria ribatejana, onde fora feliz e vivera em liberdade.

Amedrontado e nervoso, segue os ecos do que se passa na arena com os outros touros, seus antecessores, o Malhado e o Bronco. Os falhanços dos amigos preocupam-no e assustam-no. O público, pelo contrário, rejubila, com a sua pouca sorte.

Miura entra finalmente na arena, sem se aperceber que chegara a sua vez.

Cheio de medo, não sabe muito bem o que o espera. Instigado pelo toureiro dançarino, ataca-o com toda a fúria, mas é sucessivamente enganado pelo pano vermelho que o acompanha. Ambos se agridem de forma violenta e ao primeiro toureiro sucedem-lhe outros dois farsantes dourados que Miura enfrenta com muita energia e com muito sofrimento. O segundo toureiro acaba por sair da arena, moribundo, tal como o primeiro.

 Desiludido com um martírio tão cruel, Miura decide pôr fim àquele suplício, aceitando a oportunidade que o terceiro toureiro lhe oferecia. Foi com esta determinação que entregou o seu pescoço ao alívio do gume.

 

                                                                                                                                             7º C

 

3 comentários: